A OMS alerta: "A vacina não é suficiente".

Nov 16, 2020
 
 
Tedros Adhanom Ghebreyesus: "É encorajador, mas não é suficiente para deter o vírus"
 
O oficial internacional sublinhou enfaticamente numa mensagem que entregou ao regressar de um isolamento de prevenção por ter tido encontro com uma pessoa afectada com o vírus, esta mensagem de alerta, onde estava razoavelmente optimista com o anúncio dos produtores da vacina, mas destacou o risco que a humanidade enfrenta.
 
Nesse sentido ele foi definitivo: isso é apenas encorajador - disse ele - mas não devemos abandonar as outras medidas preventivas para tratar esta epidemia.
 
A mensagem da máxima autoridade sanitária da estrutura das Nações Unidas insiste, assim, em apontar o extremo perigo da pandemia que atinge o mundo. Anteriormente, ele havia se mostrado otimista com as declarações do Presidente Eleito dos Estados Unidos John Biden, que expressou que seu país iria mais uma vez restaurar os fundos que o presidente cessante Donald Trump retirou com a retirada de seu devoto da OMS
 El Paso
 Imagens dramáticas de El Paso, Texas (EUA). Os cadáveres são transferidos e acomodados em caminhões refrigerados
 
Hoje a imprensa internacional tem divulgado amplamente as declarações de Adhanom que mantém uma mensagem de extrema advertência sobre os efeitos que o Covid-19 tem no planeta.
Na verdade, a matemática lhe dá o motivo: 55.016.841 é o número de mortes e apenas 1.327.107 são recuperadas. Nessa dança macabra, as luzes do perigo acendem suas cores sobre os Estados Unidos, Europa, Brasil e Argentina. Com relação aos Estados Unidos, com a informação que chega na data da cidade de El Paso, no Texas, a sombra está se estendendo perigosamente para o México. Lá os presos foram convocados para ajudar na ingrata tarefa de lidar com os cadáveres deixados pelo vírus e que estão alojados em veículos refrigerados. O número de mortos já coloca a região em segundo lugar para o desastre de Nova York.
 
Na Latino-América, o Brasil tem o raro privilégio de ser um dos pólos com maior número de vítimas, mas surpreendentemente a Argentina agora se situa nos primeiros lugares do mundo, somando mortes por coronavírus: 35.727 mortes até agora e 1.140.196 infectados são os números divulgados hoje, 17 de novembro de 2020. 
 
O coronavírus está longe de ser um mau passageiro. Ninguém em sã consciência pode prever uma luta passageira e tudo indica que o mal permanecerá latente e ameaçador. 
Nesse entendimento, é óbvio que as palavras do funcionário da OMS refletem a dura realidade à qual será necessário se adaptar: A vacina não é suficiente. Toda a Sociedade, no mundo, terá que repensar o estilo de vida que nos levou a isso, um dos maiores riscos enfrentados pela humanidade em sua história. 
 
Ricardo E. Brizuela
Escrito e editado no Estudio de Diario del Vino em Buenos Aires, Argentina
Ultima vez modificado Martes, 17 Noviembre 2020 19:58